Tags

,

Nem precisa ser muito ligado em mundo pop e fofocas alheias das celebridades para saber que em 2009, pouco antes do Grammy daquele ano Rihanna foi agredida pelo até então namorado Chris Brown.

Pela fotos e pelos relatos do acontecido, a surra foi feia é claro gerou comoção geral. Rihanna foi acolhida pelo público e Chris Brown sofreu as consequências do ato violento, seja pagando na justiça ou tendo músicas boicotadas nas rádios do mundo todo. O assunto (que é seríssimo) até hoje gera polêmica e a cantora, mesmo que não queira virou uma espécie de ‘ícone da violência contra a mulher’.

O problema… é que Rihanna parece ter se rendido ao marketing, ao dinheiro, a polêmica e simplesmente desceu o mais baixo possível lançando uma dupla… sim uma dupla PARCERIA com o ex-namorado que a violentou de uma maneira cruel. Muito se debateu, rumores surgiram… mas a confirmação dessa infantilidade veio a tona no dia 20 de fevereiro com a divulgação de “Turn Up The Music” remix do último single de Brown e “Birthday Cake” versão completa da faixa interlude do recente disco da cantora Talk That Talk.

Como se não bastasse, as letras das músicas em questão são vulgares e apelam para tudo de mais baixo que existe nesse mundo. Sinto como se Rihanna tivesse pego a sua carreira amassado e jogado no lixo. Nunca fui fã dela, mas curtia sua música e depois disso… tomei a decisão radical de abandonar qualquer canção que saia dos lábios dela.

O pior de tudo… é que tem gente que aplaude a atitude, dizendo coisas do tipo: “Rihanna não deve nada para ninguém” “Errar é humano” “Eles deram um tapa na cara da sociedade…” por favor… perdão é uma coisa (bonita), mas humilhação é outra completamente diferente. Por que sim, na minha opinião Rihanna se humilhou de uma maneira absurda!

Violência contra a mulher é sério demais. Rihanna e Chris não tiveram uma briguinha a toa… foi muito além disso. E depois dessa palhaçada toda eu ainda me pergunto: Onde está o amor próprio? Me dá raiva só de pensar que o dinheiro e a fama podem valer muito mais do que a sua própria dignidade. Lamentável…

 

Anúncios