“Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil”. É com esta frase que o jornalista Laurentino Gomes abre o seu bestseller 1808.

Lançado há quatro anos, data do aniversário de 200 anos da chegada da família real portuguesa ao Brasil o livro aborda um tema ainda pouco conhecido dos brasileiros. É até irônico imaginar que boa parte das pessoas não conhece verdadeiramente um dos momentos mais importantes da história do nosso país, e por isso, o livro é indispensável não só para os amantes de história, mas para aqueles que querem conhecer os “bastidores” da chegada de D. João e seu clã, além de é claro a corte que não difere muito dos atuais parlamentares tupiniquins.

Nos livros didáticos, a figura de D. João é pintada como a de um rei medroso que fugiu do poderoso exercito de Napoleão Bonaparte deixando seu país “as traças” enquanto se escondia na calorosa colônia sul-americana. Mas ele realmente era medroso? Ou a fuga dos Bragança não foi uma grande jogada política de um rei bonachão, mas ainda assim bem equiparado por bons conselheiros e suficientemente inteligente para enganar o todo poderoso da França?

E o Brasil, o que realmente ganhou com a vinda do seu soberano? Será que se D. João não tivesse vindo para cá, teríamos nos desprendido de vez da metrópole portuguesa? Seríamos hoje um país de vasta área ou o que é hoje o Brasil teria se separado em pequenos países ao modo europeu? São muitas questões a serem respondidas, e é exatamente isso que o livro faz, instiga o leitor a entender a fundo a história do seu país, a pensar que a vinda da família real não representou apenas uma “fuga” e que esse evento não tivesse acontecido talvez muitas coisas não seriam como são (não falando só em pontos positivos).

Em fim… o livro é um ótima dica de leitura, não só para curiosos, mas até mesmo para estudantes que como eu estão prestes a passar por um exame vestibular!

Anúncios