Tags

Anne Jacqueline Hathaway nasceu em Nova York no dia 12 de novembro de 1982. Filha de um advogado e uma veterana atriz de teatro, Anne recebeu seu nome como uma  homenagem a esposa do célebre dramaturgo inglês William Shakespeare. Ainda adolescente foi a mais jovem aluna de teatro do premiado The Barrow Group, da cidade de Nova York, além de ter estudado no Paper Mill Playhouse de Nova Jérsei e no programa inaugural pré-curricular de verão do Collaborative Arts Project, que é afiliado à Universidade de Nova York. Aos poucos investiu sua carreira em pequenas participações na televisão norte-americana até chegar a Hollywood onde se tornaria uma das atrizes mais queridas e premiadas dos últimos anos.

Confesso que desde que a vi pela primeira vez como a desastrada Mia no fofíssimo “Diário de uma Princesa” virei fã do talento e do carisma de Anne, por conta disso, nada melhor que relembrar os cinco melhores filmes de sua carreira:

O Diabo Veste Prada (2006)

“Andrea Sachs (Anne Hathaway) é uma jovem que conseguiu um emprego na Runaway Magazine, a mais importante revista de moda de Nova York. Ela passa a trabalhar como assistente de Miranda Priestly (Meryl Streep), principal executiva da revista. Apesar da chance que muitos sonhariam em conseguir, logo Andrea nota que trabalhar com Miranda não é tão simples assim”.

Claro! O filme que deu notoriedade a Anne e com toda certeza é o favorito de 9 em cada 10 meninas – principalmente aquelas que ADORAM moda! Mais uma vez como “quem não quer nada” Anne faz você acreditar que Andrea é gente como a gente, que ela poderia ser eu, você, sua vizinha ou colega de trabalho, já que assim como nós (e a própria atriz), ela era apenas uma garota que buscava seu lugar ao sol. E é ai como na virada fashionistica da personagem que Anne finalmente tornou-se conhecida do publico em geral.

O Casamento de Rachel (2008)

“Kym (Anne Hathaway) está visitando sua família devido ao casamento de sua irmã, Rachel (Rosemarie DeWitt), do qual será madrinha. Ela carrega consigo um histórico de conflitos pessoais e familiares, que aos poucos se manifestam no período em que está no local”.

Um drama familiar “daqueles”. Neste filme, Anne despede-se de personagens fofas e encara o maior desafio de sua carreira, e mesmo sem muito alarde em torno da personagem a atriz conseguiu imprimir toda a angustia e os anseios necessários que uma personalidade como a de Kym exige. E eu realmente não estou brincando, Anne foi tão bem que chegou a ser indicada ao Oscar de Melhor Atriz e recebeu a devida atenção dos críticas que finalmente passaram a notar sua forte veia dramática.

Amor e Inocência (2007)

“1795. Jane Austen (Anne Hathaway) tem 20 anos e começa a se destacar como uma escritora. Enquanto ela está mais interessada em desvendar o mundo, seus pais querem que ela logo se case com um homem rico, que possa assegurar seu status perante a sociedade. O principal candidato é o sr. Wisley (Laurence Fox), neto da aristocrata Lady Gresham (Maggie Smith), mas Jane se interessa é pelo malandro Tom Lefroy (James McAvoy), cuja inteligência e arrogância a provocam.”

Interpretar uma das maiores escritoras da literatura inglesa com toda certeza não é uma tarefa muito fácil. Mas Anne, provou que era totalmente capaz e com graça, leveza e pitadas de drama interpretou com maestria Jane Austen no recomendadíssimo Amor e Inocência que coloca a própria autora no centro de um drama romântico digno de muitos de seus clássicos literários.

Um dia (2011)

“Emma (Anne Hathaway) e Dexter (Jim Sturgees) se conheceram na faculdade, em 15 de julho. Esta data serve de base para acompanhar a vida deles ao longo de 20 anos. Neste período Emma enfrenta dificuldades para ser bem sucedida na carreira, enquanto que Dexter consegue sucesso fácil, tanto no trabalho quanto com as mulheres. A vida de ambos passa por várias outras pessoas, mas sempre está, de alguma forma, interligada.”

Típico filme “8 ou 80” já que uns amam e outros odeiam. Mas opiniões a parte, Anne está encantadora como Emma, acredito que nenhuma outra atriz conseguiria transpassar todas as nuances de uma personagem que é acompanhada por 20 longos anos entre medos, incertezas, duvidas, paixões, sucessos e fracassos.

Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012)

“Oito anos após a morte de Harvey Dent, a cidade de Gotham City está pacificada e não precisa mais do Batman. A situação faz com que Bruce Wayne (Christian Bale) se torne um homem recluso em sua mansão, convivendo apenas com o mordomo Alfred (Michael Caine). Um dia, em meio a uma festa realizada na Mansão Wayne, uma das garçonetes contratadas rouba um colar de grande valor sentimental. Trata-se de Selina Kyle (Anne Hathaway), uma esperta e habilidosa ladra que, apesar de flagrada por Bruce, consegue fugir. Curioso em descobrir quem é ela, Bruce retorna à caverna para usar os computadores que tanto lhe serviram quando vestia o manto do Homem-Morcego. Aos poucos começa a perceber indícios do surgimento de uma nova ameaça a Gotham City, personificada no brutamontes Bane (Tom Hardy). É o suficiente para que volte a ser o Batman, apesar dos problemas físicos decorrentes de suas atividades como super-herói ao longo dos anos”.

Dispensa comentários né? Filmaço! E (Christian Bale’s a parte) como disse o próprio Presidente Obama, Anne foi uma das melhores coisas do filme! Michelle Pfeiffer que me desculpe mas Hathaway basicamente nasceu para ser a mulher gato!

Anúncios