Sem título

Sou uma grande fã de literatura britânica, sejam autores clássicos ou contemporâneos, tenho uma espécie de “carinho” especial pelos autores da terra da rainha, e confesso que grande parte dessa “paixão” vem de Jane Austen que na minha humilde opinião é um dos maiores expoentes do romantismo britânico.

Sabendo dessa minha grande admiração pelas obras de Austen, fiquei completamente maluca quando descobri um filme chamado O Clube de Leitura de Jane Austen. Dirigido por Robin Swicord que tem em seu currículo sucessos como O Curioso Caso de Benjamin Button e Memórias de uma Gueixa, o longa metragem lançado em 2007 conta com nomes como Emily Blunt e Luke Brandon Hugh Dancy em seu elenco.

A história se passa na Califórnia onde um grupo de seis pessoas se reúne com o intuito de ler e discutir os seis livros publicados por Austen. Apesar de ser uma história simples, o filme se torna extremamente interessante pois a medida que a discussão sobre os livros avança, as histórias pessoais de cada personagem se cruza e de alguma forma se assemelha com as histórias criadas por Austen.  Sylvia, uma bibliotecária recém divorciada é uma espécie de Fanny Price de Mansfield Park, a filha de Sylvia, Allegra uma lésbica de 20 anos lembra a “passionalidade” de Marianne em Razão e Sensibilidade, bem como Bernadette a “fundadora” do Clube do Livro representa Mrs. Gardiner de Orgulho e PreconceitoJocelyn, uma mulher bonita, bem sucedida e solteira que prefere dividir a vida com cachorros do que com homens, reflete a personagem título de Emma, assim como Prudie, uma professora de francês em um casamento em crise, que ao se interessar por um de seus alunos, passa a ser uma “alusão” a Anne Elliot de Persuasão. E por fim, temos o único homem do grupo que acaba representando todos os personagens masculinos de Austen: Grigg um apaixonado por ficção cientifica que apesar de nunca ter lido um livro Austen se interessa por Jocelyn e a convite dela aceita fazer parte do clube.

Para quem já leu pelo menos uma obra de Austen, esses “encaixes” dos protagonistas dos filmes com os personagens criados pela autora, torna-se uma espécie de “nova leitura”, e acredito que para aqueles que assim como Grigg nunca leram uma palavra da autora  o filme desperte a vontade de conhecer um pouco mais das histórias de Austen.

Com um excelente roteiro, elenco e trilha sonora o filme é uma ótima dica para esse finzinho de feriado. Sendo uma amante de livros, nunca tinha me deparado com uma história que fosse focada no amor dos protagonistas pela leitura e isso, a meu ver, foi um dos pontos fortes da história. Ah! Nem preciso dizer que fiquei morrendo de vontade de participar de um clube de leitura…

Anúncios