...

Se tem uma coisa que eu simplesmente adoro fazer é responder um meme. Não sei se isso vem da minha mania de fazer listas para tudo o tempo todo, mas o fato é que quando eu vejo um blog dando uma ideia super legal não penso duas vezes antes de postar aqui no blog! O meme dessa vez veio do Doces Rodopios e é bem simples, basta responder três perguntinhas básicas sobre obras que como o próprio nome do post sugere valem a pena serem lidas de novo!

1. Existe um livro que você leria muitas vezes sem cansar? Qual?

Existem vários, mas acho que eu leria A Casa das Orquídeas quantas vezes fosse necessário. Gosto muito de histórias que mesclem passado e presente, e não consigo resistir quando um autor consegue aliar essa fórmula com uma boa dose de emoção. Confesso que li o livro no começo desse ano, mas já tive a oportunidade de repetir a leitura e ainda assim me sentir da mesma maneira que me senti da primeira vez que me deparei com as inúmeras reviravoltas que Lucinda Riley criou nessa belíssima história!

2. Se pudesse escolher um livro para ler o resto da vida, qual seria?

Que isso nunca aconteça, mas se eu ficasse com apenas um livro e fosse impedida de ler qualquer outra obra, acho que escolheria ficar com Um Dia do David Nicholls. Não sei explicar muito bem o efeito que a história de Dexter e Emma tem sobre mim, mas a história acaba sendo tão realista – e as vezes pessimista – que é praticamente impossível não acabar a leitura sem que pelo menos um trecho da história tenha feito você repensar em absolutamente tudo que o cerca.

3. Indique um livro para que os outros possam ler.

Eu poderia passar a vida indicando livros, mas quando leio essa pergunta o primeiro livro que me vem a mente é:  Reparação do Ian McEwan. Não há o que falar. Sabe aquelas obras em que são tão espetaculares que você não tem nem palavras para descrever? É exatamente dessa maneira que me sinto quanto tento falar sobre Reparação. Não exageram quando chamam esse livro de obra prima moderna – porque de fato é – e é por isso que eu cheguei a uma irremediável conclusão: todo mundo deveria ler esse livro pelo menos uma vez na vida!

Anúncios