...Autor: Guilherme Fiuza
Título Original: Giane: Vida, Arte e Luta
Ano de Lançamento: 2012
Editora: Sextante
Número de Páginas: 304
Sinopse: Biografia autorizada do ator Reynaldo Gianecchini.

“A vida de cada um de nós daria uma novela”, sem dúvidas o slogan da telenovela Laços de Família (2000) serviria para descrever a biografia de muita gente, mas depois de ler a do ator Reynaldo Gianecchini não restam dúvidas de que a vida dele poderia sim, dar uma novela recheada de surpresas, reviravoltas e muita superação.

Nascido na cidade de Birigui, interior de São Paulo, Reynaldo Gianecchini Júnior sempre sonhou em conquistar o mundo. Filho de um casal de professores, aos dezoitos anos se mudou para São Paulo onde se formou em direito e paralelamente iniciou a carreira de modelo internacional. Decidido a não voltar para  o Brasil, se apaixonou pela prestigiada jornalista Marília Gabriela que o convenceu a retornar à terra natal onde pouco tempo depois ele se tornaria um dos rostos mais bonitos e conhecidos do país.

Dali para a frente o Brasil viveu uma verdadeira “overdose” de Reynaldo Gianecchini – que duramente criticado pela mídia -comprovou que a beleza também tinha talento e o que o seu carisma e magnetismo eram mais do que suficientes para conquistar uma legião de fãs. Ainda assim, a vida é capaz de dar muitas reviravoltas e quando o seu casamento de “conto de fadas” chegou ao fim, Giane que até então era o “garoto certinho”, envolveu-se em polêmicas, caiu na gandaia, viu sua imagem decair, seu patrimônio desmoronar, ficou frente a frente com a morte e então, finalmente renasceu.

No que olhou pela primeira vez a cara da morte, a sua morte, bem de frente, foi tomado por uma calma profunda. Por um momento perdeu de vista os médicos, as enfermeiras, a empresária, a mãe, os parceiros profissionais e afetivos, a legião de fãs. Enxergou com clareza o verdadeiro lugar de todo mortal em sua condição mais pura: a solidão. E se sentiu forte nesse lugar. Se deu conta de que fora exatamente dali que, ainda menino, vislumbrava o seu caminho – um caminho que o diferenciava de todos os membros de sua família, de todos os exemplos que havia à sua volta no interior, de tudo o que ouvia na escola. A sós consigo, já tinha enfrentado grandes encruzilhadas”.

A verdade é que Giane dispensa apresentações, sua trajetória não tem nada chocante, mas não deixa de ser um exemplo de coragem, determinação e otimismo. O câncer enfrentado pelo ator há pouco mais de dois anos foi infinitamente mais árduo do que a mídia mostrou, bem como a sua difícil relação do pai que depois de também enfrentar uma árdua batalha contra a doença, reencontrou o caminho para se reaproximar do filho e – como numa cena de novela – partiu nos braços do garoto que largou a vida interiorana para realizar os seus ambiciosos sonhos de ganhar o mundo.

Confesso que apesar das ótimas recomendações da minha mãe, comecei a ler o livro sem grandes expectativas até me ver completamente enfeitiçada pela escrita envolvente de Guilherme Fiuza, que nos leva a uma verdadeira viagem aos bastidores do teatro, do cinema e da televisão brasileira. A narrativa é acertadamente conduzida de uma maneira não linear, o que de certa forma deixa o livro mais dinâmico e o leitor ainda mais ansioso para conhecer os seus desdobramentos.

“Giane: Vida, Arte e Luta” é um livro que pode surpreender. Reynaldo se desvencilha de vez da imagem de “galã perfeito”, mostrando que por trás de toda a sua “humanidade” há uma gigantesca determinação que parece guiá-lo a todo do momento: dos seus sonhos infantis em Birigui até os instantes mais assustadores de sua doença.

Giane pensou: É até que faz sentido. Eu vou morrer um dia, e o livro fica né? Márcia concordou que os livros permanecem. Sobre a perspectiva de que ele ia morrer um dia, ela não disse nada. Mas tinha sérias dúvidas”.

Anúncios