...Autor: Graeme Simsion
Título Original: The Rosie Project
Ano de Lançamento: 2013
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 320
Sinopse: Para se ter a vida de Don Tillman, não é preciso muito esforço. Às terças-feiras come-se lagosta com salada de wasabi (seguindo um roteiro com refeições padronizadas que evitam o desperdício de ingredientes e de tempo no preparo); todos os compromissos são executados de acordo com o cronograma – alguns minutos reservados para a prática do aikido e do caratê antes de dormir; uma hora para limpar o banheiro; três dias da semana reservados para suas idas à feira – e se, apesar dessa programação, algum desagradável contratempo surgir em sua rotina, não há nada que não possa ser solucionado com meia hora de pesquisa científica. Exceto as mulheres. Até o momento, a única coisa não esclarecida pelos estudos no campo de atuação de Don, a genética, é o motivo para sua incapacidade de arrumar uma esposa. Uma namorada ao menos? Ou até mesmo uma amiga para somar ao seleto grupo de amigos de Don, formado por Gene, também professor na universidade, e a mulher dele, Claudia, psicóloga e esposa muito compreensiva. Para solucionar esse problema do modo mais eficaz, Don desenvolve o Projeto Esposa, um questionário meticuloso que irá ajudá-lo a filtrar candidatas inadequadas a seu estilo de vida: fumantes JAMAIS, e mulheres que se atrasam por mais de cinco minutos ou que usam muita maquiagem estão fora dos critérios pouco flexíveis que o levarão à mulher ideal. O único problema é que um questionário desse tipo exige tempo e dedicação, duas coisas que começaram a diminuir exponencialmente no cotidiano de Don desde que ele conheceu Rosie: fumante, vegetariana e incapaz de chegar na hora marcada. Ou esse era o único problema até Rosie entrar na vida de Don e – despretensiosamente, uma vez que ela nunca se candidatou ao Projeto Esposa – mostrá-lo que a mulher ideal não existe, mas o amor, sim.

Os seres humanos muitas vezes deixam de enxergar o que está perto deles e que parece óbvio para os demais”

Depois da experiência um tanto quanto “chocante” com a leitura de “Hoje Eu Sou Alice”, decidi apostar em um livro menos perturbador, e a escolha de “O Projeto Rosie” foi mais do que acertada. Mesclando romance e humor, “O Projeto Rosie” é um dos livros mais fofos e despretensiosos que já li nos últimos tempos (mesmo que lá no fundo, o autor discuta de forma muito “subliminar” alguns temas pertinentes para uma estudante psicologia).

A história é narrada pelo protagonista, o professor de genética Don Tillman que apesar da beleza e da carreira bem sucedida, jamais conseguiu se relacionar com alguém. O motivo é evidente logo nas primeiras páginas: Don vive sob uma série de regras de organização criadas e regidas com fervor por ele mesmo. Na vida dele, não há surpresas. A rotina segue com todo rigor e planejamento de uma pesquisa cientifica.

Sendo assim, não é difícil deduzir que Don é um homem muito solitário. Incentivado pelos seus únicos amigos, o casal Gene e Claudia, Don resolve reverter a situação e finalmente dar uma chance ao “amor”… o que obviamente acaba não sendo algo muito romântico, já que o professor decide seguir a risca seu padrão de vida previamente planejado e cria um “Projeto Esposa” que nada mais é que um questionário nada básico com o intuito de fazer com que mulher perfeita surja em sua vida.

O que Don não espera é que na vida nem tudo pode ser calculado e quando Rosie, uma garçonete completamente fora dos padrões Don Tillman de qualidade aparece em seu escritório as coisas começam a mudar. Inesperadamente, o protagonista precisa lidar com situações fora do planejado e com o surgimento de outro projeto, “O Projeto Rosie” que o aproxima cada vez mais da garota fazendo com que pouco a pouco ele saia da sua “redoma de vidro”.

E então percebi que não havia desenvolvido aquele questionário para encontrar uma mulher que eu pudesse aceitar, mas sim para encontrar alguém capaz de me aceitar”.

O que mais eu posso dizer? Com uma narrativa fluída e uma premissa simples, Graeme Simsion foi capaz de criar uma história leve e ao mesmo tempo tocante, já que Don, no alto de seus problemas em criar relacionamentos sociais nos desperta uma série de emoções – o que é irônico, já que um personagem taxado de “frio” consegue ser extremamente carismático.

Poucas comédias românticas trazem um personagem masculino tão cativante como Don, e a história fica ainda mais completa quando a mocinha consegue ser igualmente fofa. Em “O Projeto Rosie” não há personagens chatos ou completamente dispensáveis. Por mais previsível que a história possa parecer, todos estão lá para cumprir o seu papel. Todos, inclusive os coadjuvantes tem uma razão de ser e não é preciso ir muito a fundo para entender as motivações de cada um.

Estou bastante ciente de que possuo algumas características incomuns

Eu poderia ficar horas e horas dizendo o quanto esse livro vale a pena ser lido. “O Projeto Rosie” não tem choque de realidade, ou reflexões muito profundas, mas cumpre tão bem o seu papel que é impensável não dizer o quanto ele é bom.

Sem contar, o fato de que a editora Galera Record está de parabéns pela excelente diagramação e principalmente pela linda capa cheia de referências ao “romance” de Don e Rosie. Minha única ressalva, porém, é não ter o questionário do “Projeto Esposa” para responder… 

Anúncios