...Autor: Lucinda Riley
Título Original:  The Light Behind The Window
Ano de Lançamento: 2012
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 544
Sinopse: A Segunda Guerra Mundial deixou muitos destroços e segredos familiares principalmente na família de Emilie, os De La Martinières. Quando sua mãe faleceu, deixando o legado do château da família para ela, a única herdeira, Emilie fica devastada e quer vender tudo para que possa voltar à sua rotina comum de veterinária. Entretanto, Sebastian Carruthers aparece em sua vida para ajudá-la a cuidar de toda a documentação e a consola nos momentos mais difíceis. Emilie se apaixona pela sua gentileza e decide se casar com ele. Assim, ela se muda para a casa do marido, Blackmoor Hall, em Yorkshire. Contudo, a vida que ela, ingenuamente, pensa estar começando bem, trará a ela muitas surpresas e revelações do presente e do passado de toda uma geração.

“Desde que você foi embora, Emilie, eu venho pensando se deveria levar o resto da história comigo para o túmulo – ele disse, dando de ombros. – Mesmo assim, como é possível encontrar algum sentido no presente se você não conhecer o passado?

Fazer uma resenha de um livro que você caiu de amores é uma tarefa um tanto quanto difícil. Para ser sincera, ás vezes é muito mais fácil falar de uma obra que não inspirou tanto “encantamento” do que uma que te surpreendeu e emocionou do começo ao fim. Ao mesmo tempo, quando lemos um livro incrível queremos compartilhar aquela história com o maior número de pessoas possíveis e é essa vontade de falar sobre uma obra que nos dá motivação para escrever uma resenha que esteja a “altura” daquele trabalho.

Lucinda Riley é uma autora que vem me surpreendendo a cada obra publicada. Confesso que quando li “A Casa das Orquídeas” no início deste ano, achei que seria difícil alguma outra história superá-la, mas eis que leio “A Luz Através da Janela” e fico ainda mais encantada com o trabalho da escritora irlandesa.

O livro que segue a cartilha do trabalho anterior da autora: misturando passado, presente, guerras e amores proibidos começou de maneira lenta e pouco a pouco com uma trama repleta de segredos e momentos históricos conquista o leitor de uma maneira arrebatadora. Desta vez, Lucinda nos leva para o paradisíaco sul da França em dois momentos completamente distintos, mas que se interligam não só pelo mesmo cenário, mas pelas histórias que apesar de estarem cinquenta anos separadas são praticamente parte de um único momento.

O momento mais “atual”, diz respeito a veterinária Emilie de De La Martinières que no fim dos anos 90 se vê como a única herdeira de uma das famílias mais poderosas e tradicionais da França. Para muitos isto poderia ser o paraíso, mas para Emillie voltar ao belíssimo château de sua família é reviver lembranças de um passado onde ela se sentia como uma completa estranha ao lado de um mãe que nunca lhe deu devida atenção e de um pai, que apesar de ser um homem generoso e amável, vivia a maior parte do seu tempo imerso nos fantasmas do seu próprio mundo.

Nascida em uma família extraordinária, tudo o que ela queria era parecer uma pessoa normal.”

Sozinha e sem a quem recorrer, Emilie conhece um jovem inglês chamado Sebastian que revela uma antiga ligação de sua família os Carruthers com a tradicional linhagem dos De La Martinières. Esta “ligação” nos remonta ao momento passado da história, mas precisamente o ano de 1943 quando a Europa está em meio ao caos da Segunda Guerra Mundial e a Alemanha de Hitler invade boa parte dos países do continente, dentre eles a França.

Neste cenário, a arquivista britânica Constance Carruthers é recrutada para se tornar uma agente da SOE e enviada para Paris para trabalhar numa “rede” que pretende lutar pela libertação francesa do domínio alemão. A primeira missão de Connie, no entanto, dá errado e ela acaba indo parar na casa do pai de Emillie – Édouard De La Martinières, que na época era um jovem aristocrata que sob a fachada de simpatizante do governo nazista, era um dos aliados mais poderosos e influentes da resistência francesa.

O presente  e o passado começam a se ligar ainda mais quando Emilie descobre na casa de Sebastian (com quem ela acaba se casando) um velho caderno de poemas, assinado por uma de suas  antepassadas: Sophia De La Martinières, uma garota cega que com uma beleza extraordinária e grande sensibilidade para as artes parece ser a “chave” para grande parte das revelações desta história.

Curiosa para saber mais sobre sua família, Emilie conta com a ajuda de Jacques um senhor que desde muito jovem trabalha como administrador do vinhedo dos De La Martinières, para descobrir a verdadeira história de seus antepassados e consequentemente acaba entendendo o seu presente, principalmente a estranha relação entre o seu marido com o irmão Alex (um jovem cadeirante que se mostra bastante diferente do que Sebastian havia descrito para a esposa…).

“Uma coisa que aprendeu com o seu passado e com o seu presente era que a vida não dá segundas chances. Ela pede, e ás vezes implora, que você agarre o que ela lhe oferece, que reconheça o que é bom e descarte o que é ruim”.

Se eu pudesse, passava o dia descrevendo este livro maravilhoso. “A Luz Através das Janelas” é uma história que fala basicamente sobre o perdão e da força que este sentimento pode ter na vida não só de uma pessoa, mas em todas as gerações seguintes. Emilie é uma mulher insegura, que passou a vida sem receber o mínimo de afeto e confiança, e por ver em Sebastian a fonte de todo esse “amor” e proteção que ela nunca recebeu se viu completamente encantada por um homem que mal conhecia. Connie por outro lado, é uma mulher forte e determinada que luta por seus ideias e pelas pessoas que ama com todas as suas forças, assim como Alex que apesar da difícil relação com o irmão e com a deficiência física vive a sua vida de maneira corajosa e sem grandes arrependimentos.

Como podem ver, Lucinda nos entrega uma história primorosa e com personagens extremamente bem construídos. Com uma profunda pesquisa sobre o período retratado no livro, a autora narra 544 páginas de uma maneira tão fluída e natural que acaba fazendo parecer fácil escrever uma história tão linda e repleta de momentos que se encaixam perfeitamente em cada parte da história. Para quem curte livros que envolvam romance, momentos históricos e segredos de família, “A Luz Através da Janela” é uma excelente pedida para estas férias!

Anúncios