introvertidasim

Durante boa parte da minha da minha vida convivi com o estigma de ser uma pessoa tímida. De fato, algumas situações despertam minha timidez, mas o fato é que por mais que as pessoas me taxassem como a típica garota “envergonhada” lá no fundo eu tinha plena certeza de que a minha personalidade se encaixava muito melhor em outra definição: introvertida.

Por mais confuso que possa parecer, um introvertido nem sempre é um tímido, assim como um tímido pode passar muito longe de ser uma pessoa introvertida. A questão é que eu sempre fui uma garota quieta. Enquanto as meninas da minha idade e minhas próprias amigas – com quem eu me identificava na grande parte das coisas – eram mais extrovertidas, falantes e não dispensavam um “agito”, eu sempre fui aquela que adorava ler, que se sentia muito mais á vontade quando podia se expressar através da escrita e que se irritava profundamente quando tinha que ouvir meia hora de papos superficiais.

Ao contrário de tímido porém, nunca tive problemas em falar em público ou me senti inibida em expressar as coisas que sinto e penso. Um tímido geralmente é obsessivamente preocupado com a opinião alheia e sente uma insegurança gigantesca em mostrar aos outros quem realmente é, o que pensa e o que gosta. Obviamente não é apenas isso que define uma pessoa tímida,assim como não é tão fácil definir um introspectivo. Mas dá para sentir uma diferença não dá?

Na escola sempre fui a mais “certinha” e “quietinha” da turma e isso ás vezes me irritava profundamente. Aliás, por um bom tempo acreditei que sofria de uma timidez estratosférica até finalmente entrar na faculdade e perceber que não, eu não sou nem um pouco tímida. Por mais que eu não seja aquela que sai falando com tudo mundo, dando bom dia e se sentindo a pessoa mais feliz e simpática da face da terra, percebi que convivendo com pessoas de histórias, idades e comportamentos completamente distintos eu era perfeitamente capaz de me encaixar em qualquer situação. Por mais que em alguns dias eu esteja mais para ficar em casa e curtir a minha solidão comigo mesma, em outros dias eu me sinto completamente disposta a conviver socialmente sem a menor pressão para ser (ou parecer) mais “desinibida”.

Acredito que a timidez seja um traço de personalidade muito mais difícil de lidar. Em parte porque querendo ou não a sociedade preza muito pessoas que sejam seguras e completamente dispostas a conviverem com as outras (o que de certa forma faz com que o tímido se sinta ainda mais inseguro consigo mesmo). E sim, eu sei que o esse esteriótipo ainda vai ser jogado muitas e muitas vezes sobre mim, ainda assim não posso deixar de expressar que dá uma sensação libertadora perceber que você simplesmente conhece um pouquinho de si e não precisa se sentir nem um pouquinho constrangido quando qualquer outra pessoa diga o quanto você é “diferente” da maioria dos coleguinhas.

No fim das contas, sendo tímido, extrovertido, introvertido ou qualquer outra coisa o importante é aprender a conviver com sua personalidade e a cima de tudo, respeitar as características dos outros. É um papo clichê, eu sei, mas sempre vale a pena relembrar que ninguém precisa se adequar a qualquer padrão de comportamento.

Por fim, não poderia deixar de dizer que a grande inspiração para esse meu post reflexivo e um tanto quanto egocêntrico veio de uma matéria super legal que expõe 23 sinais de que você é um introvertido. Confesso que super me identifiquei com absolutamente TODOS os itens e tive ainda mais certeza de que eu não sou tímida, e sim uma completa introvertida!

Créditos da foto: We Heartit

Anúncios