A_PRINCESA_LEAL_1310114398PTítulo Original: The Constant Princess
Ano de Lançamento: 2005
Editora: Record
Número de Páginas: 445
Nota: 5/5

“Nasci infanta de Espanha e vou morrer rainha da Inglaterra. Não se trata de escolha, é o meu destino

Catarina de Aragão será eternamente lembrada como a rainha que foi destituída de sua posição pelo próprio marido e cruelmente trocada pela jovem e audaciosa Ana Bolena. Em “A Princesa Leal“, entretanto, a autora britânica Philippa Gregory faz um retrato muito além da clássica história da primeira esposa de Henry VIII. Dotada de um grande talento para reescrever fatos históricos de maneira romanceada, Gregory nos entrega uma história poderosa sobre uma mulher que desde a infância sabia qual era o seu destino e por ele enfrentou inúmeros obstáculos.

Filha dos reis católicos Isabel de Castela e Fernando de Aragão, Catarina (do espanhol Catalina) cresceu vendo os seus pais lutarem contra os mouros e viveu num reino que fortemente influenciado pela cultura oriental prezava a beleza e a natureza de uma forma bem diferente da maioria dos países europeus da Idade Média. Como qualquer princesa da época, Catarina foi prometida ainda na infância a um casamento que firmaria uma aliança entre reinos, nesse caso Espanha e Inglaterra.

Sendo assim, ao completar quinze anos a princesa espanhola deixa seu país rumo a Inglaterra onde se casa com Artur Tudor, o jovem herdeiro do trono inglês. Catarina estava caminhando para aquilo que cresceu ouvindo: ela seria rainha da Inglaterra, mas antes mesmo de completar o seu destino ou gerar um herdeiro para a Casa Tudor, Artur morre e deixa a jovem infanta da Espanha viúva após escassos cinco meses de união.

Dotada de um grande espirito guerreiro e genuinamente determinado, Catarina luta contra tudo e contra todos na fixa ideia de manter a sua posição de futura rainha da Inglaterra. Para isso ela insiste em dizer que seu casamento com Artur não foi consumado e trama um novo matrimônio, desta vez com seu cunhado Henry que com a morte do primogênito dos Tudor se torna o novo herdeiro do trono inglês. O caminho até o casamento obviamente não é fácil, e a jovem infanta da Espanha enfrenta diversos obstáculos, inclusive uma longa espera de sete anos num castelo em ruínas e completamente esquecida pelos reis inglês e espanhol, até finalmente se casar com Henry, o futuro Henry VIII que era seis anos mais jovem do que ela.

Não vou me entregar ao sofrimento, vou me entregar à Inglaterra. Manterei minha promessa. Serei fiel ao meu marido e ao meu destino. E planejarei, tramarei e pensarei em como derrotar o infortúnio e ser o que nasci para ser. Como serei a pretendente que se torna a rainha”

Com uma narrativa única e extremamente envolvente, Phillippa Gregory cria o cenário perfeito para a história de uma das mais célebres rainhas da história da Inglaterra. Apagando definitivamente  a imagem da mulher religiosa, envelhecida e completamente fora dos padrões de beleza da época, a autora nos mostra uma jovem Catarina decidida e muito parecida com sua mãe, Isabel de Castela que é conhecida por ser um verdadeiro soldado, uma mulher que não se limitava ao papel da rainha solene e obediente que estamos acostumados a imaginar.

“A Princesa Leal” é um livro completo em todos os aspectos. Com uma história extremamente rica e uma protagonista repleta de nuances, Philippa Gregory construiu um romance instigante, pungente e dramático sobre a vida e a obra de uma mulher que se entregou ao seu destino e não desistiu de seus ideais, lutando fielmente pelos seus objetivos e pela promessa que fez á seu país, à Inglaterra, ao homem que amava e principalmente a si mesma.

O livro que faz parte de uma série que mistura ficção e realidade ao contar histórias sobre os principais nomes da dinastia Tudor, fez com que eu realmente conhecesse a essência da verdadeira Catarina de Aragão e finalmente conseguisse olhar a sua trajetória com os olhos da própria rainha.

Sem dúvidas, “A Princesa Leal” já tem o seu lugar cativo na minha estante se você assim como eu é um grande fã de histórias sobre realeza (ainda mais quando essas histórias revelam uma Europa longínqua e um dos episódios mais fascinantes da trajetória inglesa) não espere muito para se deliciar com o livro que com toda certeza foi uma das minhas melhores leituras dos últimos tempos.

“Era o desejo de minha mãe e a vontade de Deus que eu fosse rainha da Inglaterra, e serei rainha da Inglaterra até morrer

Os livros da série Tudor (em ordem cronológica)
1 – “A Princesa Leal”
2 – “A Irmã de Ana Bolena”
3 – “A Herança de Ana Bolena”
4 – “O Bobo da Rainha”
5 – “O Amante da Virgem”
6 – “A Outra Rainha”

Anúncios