garotasdevidroTítulo Original: Wintergirls
Ano de Lançamento: 2012
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 272
Nota: 5/5 ❤

Sabe um livro que te prende, surpreende e impressiona? “Garotas de Vidro” da autora Laurie Halse Anderson é tudo isso e mais um pouco.

Não é segredo para ninguém que eu adoro livros que tratam de temas um tanto quanto “pesados”, que trazem a tona histórias que mexem com o psicológico e por incrível que pareça são mais comuns do que imaginamos. “Garotas de Vidro” não é um livro fácil. Seu mote principal são os transtornos alimentares, e a narrativa densa e propositalmente confusa só ajuda o leitor a entrar de cabeça nos pensamentos de uma jovem obcecada pela magreza.

Numa sociedade onde nos sentimos pressionadas a seguir o padrão de beleza, doenças como a Anorexia e a Bulimia Nervosa infelizmente se tornaram transtornos comuns. É através da protagonista de “Garotas de Vidro” que adentramos de maneira surpreendente no mundo estritamente disciplinado e obcecado de uma dessas jovens mulheres frágeis, geladas e quebráveis que dia após dia pagam com a própria vida o preço para alcançarem a inatingível perfeição.

“Quarenta quilos e trezentos gramas. Eu poderia dizer que estou animada, mas seria mentira. O número não importa. Se eu chegasse a 32, iria querer 29. Seu pesasse 4,5 quilos, não ficaria feliz até chegar aos 2,25. O único número que seria suficiente é 0. Zero quilos, zero vida, tamanho zero, zero duplo, zero e ponto. Zero é sinônimo de estar pronto para tudo. Agora eu entendo.”

Lia tem apenas dezoito anos, mas já passou boa parte da vida carregando o fardo de não aceitar seu próprio corpo. No auge da sua doença (a anorexia nervosa), ela descobre que Cassie, sua melhor amiga (que também sofria de transtornos alimentares) foi encontrada morta num quarto sujo de motel. O pior de tudo é que antes de morrer a garota ligou para a amiga, nada mais nada menos que 33 vezes!

Sentindo-se sozinha e culpada, Lia começa a afundar cada vez mais na sua obsessão pela magreza. E por mais que a sua família tente ajudá-la a enfrentar seus fantasmas, nada parece ser capaz de trazer de volta a jovem que Lia era antes de apostar com Cassie quem seria a garota mais magra da escola.

“Garotas de Vidro” é um livro angustiante. Ao mesmo tempo em que conhecemos mais sobre a anorexia, afundamos junto com Lia no turbilhão de pensamentos, imposições e fantasias que passam pela sua cabeça. A autora faz um certo mistério sobre a verdadeira causa da morte de Cassie e isso faz com que Lia tenha alucinações com a melhor amiga, e fique cada vez mais perdida em seu próprio mundo, sem saber o que é realidade e o que não é.

“Berram comigo porque eu não consigo ver o que elas veem. Ninguém consegue me explicar porque meus olhos funcionam de um jeito diferente. Ninguém consegue impedir isso”

Laurie Halse Anderson mergulhou de cabeça nos transtornos alimentares e o resultado é um retrato fiel e doloroso desses problemas. Lia tem consciência de sua doença, sabe que está ficando cada vez mais magra, mas não consegue parar. Não consegue se enxergar como uma “morta-viva” porque tudo que ela vê no espelho é uma garota gorda e infeliz.

Os transtornos alimentares são um dos problemas mais difíceis de se tratar. O psicológico de uma anoréxica ou bulímica é algo extremamente complexo. Os olhos não conseguem ver o que seu cérebro já conseguiu enxergar. É um eterno dilema, uma compulsão, uma obsessão por um desejo que nunca será satisfeito.

“Garotas de Vidro” é de longe um dos melhores livros que li nos últimos anos. Lia tinha tudo para ser uma garota como as outras, principalmente por ter uma família que apesar dos problemas, tenta a todo momento apoiá-la, mas sua doença a impede de viver sua própria vida, de seguir seus próprios pensamentos e revelar o que realmente sente para aqueles que a amam (a relação de Lia com a família, aliás, é um dos pontos mais legais desse livro. Laurie foi tão afundo em sua pesquisa que conseguiu criar personagens extremamente verossímeis)

À primeira vista pode parecer um livro difícil, mas apesar da narrativa diferente e da realidade escancarada que a história traz, é uma obra que vale muito a pena. Não só para aqueles que assim como eu, se interessam pelo tema e estudam sobre ele, mas para qualquer outra pessoa. Sem dúvidas, um “choque de realidade” que todos deveriam ler.

Anúncios